Cadastre-se ou faça login!

Um Dia de Puta

Ola! Meu nome é Bárbara, sou morena clara tenho 23 anos e 1.68m e 55k, pele queimadinha de sol, marquinha de biquíni, seios médios, bumbum durinho, fruto de muito exercício e sexo claro, que meu marido André 29 anos 1.85m e 90k distribuídos por um corpo delicioso de homem experiente e safado adora, alias nisso somos iguais, adoramos sexo, em toda sua plenitude, somos muito felizes na cama e fora dela, não gostamos de coisas nojentas, violência e falta de respeito, mas o restante apreciamos, entre quatro paredes vale tudo pelo prazer de cada um, só de pensar nas loucuras que já vivemos juntos fico molhadinha, tanto eu como ele somos insaciáveis na cama, gostamos de sexo à exaustão, carinho, tesão e muito, mas muito prazer, sem rotina, mas com muita criatividade, existe o dia para se fazer amor, beijos calientes, caricias suaves, penetração olhando nos olhos do parceiro e também existe o dia de sexo selvagem, onde gosto de ser virada do avesso e vale até uns tapinhas, enfim vale tudo na busca do prazer. Vou relatar hoje uma aventura que tivemos a três anos atrás no carnaval do Rio de Janeiro, eu e André na época ainda meu noivo, sempre fomos bem desencanados em relação a sexo e de vez enquando sempre rola uma novidade em nossa relação, nos últimos meses antes desta aventura André sempre vinha colocando em nossa relação outros homens, na hora H de nossas relações dizia para pensar em determinado amigo eu gozava loucamente com aquelas palavras de sacanagem de meu noivo e comecei a entrar em seu jogo erótico, quando ele estava para gozar eu também pedia para pensar em uma amiga gostosa, pois sempre tivemos relacionamentos com muitas mulheres bonitas, e eu particularmente sabia que ele pagava pau para algumas delas, comecei a perceber que ele ia nas nuvens quando comia minha bundinha e eu falava o nome de amigas em comum, aquilo fez parte de longas transas entre nós. Eu sempre fui fogosa em se tratando de sexo, mas tudo entre quatro paredes, nunca fui promiscua e nunca me permitia a ter vários parceiros, sempre me entreguei inteira aos caprichos de André, fazia tudo que ele gostava e com paixão, mas uma fantasia sempre povoou meus pensamentos, ser puta por um dia, ser a cobiça de vários homens ao mesmo tempo, poder transar com muitos homens e em público e na frente do meu noivo, ser possuída vigorosamente por três homens ao mesmo tempo, revezar com muitos parceiros e ser um objeto de prazer para eles, mas isso tudo só ocupava meus pensamentos nas noites de solidão onde eu mesma me dava prazer, tocando minha boceta e pensando nessas bobagens todas, nunca dividi isto com ninguém, nem mesmo com André, pois apesar de ser muito safado não saberia qual seria sua reação e eu mesma achava que não teria coragem para realizar uma cena assim. André chegou com reservas de hotel no Rio de Janeiro e disse que passaríamos a carnaval daquele ano naquela cidade, mostrou os convites dos desfiles e entradas para curtir um baile de salão movimentadissimo, fique eufórica com a noticia e já comecei a fazer planos, íamos em três casais, Eu e André, Fábio, amigo de André desde infância, ele tem 28 anos, um a menos que André, 1.80m e uns 85k, Fábio trabalhava com André e diferente do meu noivo era saradão, um rapaz muito bonito e muito charmoso também, Raquel sua namorada uma loirinha de 24 anos de 1.65m e 54k distribuídos num corpinho de deixar qualquer marmanjo babando, ela tinha umas coxas que deixava os homens perdidos de paixão por ela, muitas foram as vezes que instiguei André com o nome da loirinha de seu grande amigo e também nos faria companhia um primo de Fábio, Henrique 32 anos, 1.85m e uns 95k o mais fortinho da turma, mas era muito charmoso também, tinha os olhos claros e era alto como André, sua noiva Claudia uma morena clara 25 anos e muito gostosa, a bunda era a característica marcante, bem torneada certamente a fantasia de muitos amigos de Henrique, seus peitos eram também volumosos e chamavam a atenção, mas não tínhamos muitas afinidades com este casal, na verdade tudo rolou em conversa dos rapazes e combinaram a viagem, diferente do Fábio e Raquel que já tínhamos bastante afinidades e saiamos sempre juntos, porém nunca com intimidades, eram apenas amigos mais chegados. Enfim chegou a quinta feira que antecedia o carnaval e iríamos para o Rio de avião, estávamos todos muito ansiosos e eu planejando e sonhando com o baile de carnaval, pra mim aquele seria o ápice de nossa aventura, descontraídos chegamos ao Rio, no hotel Fábio e Raquel iriam ficar conosco e Henrique e Claudia tiveram que ficar com quarto separados pois não tinham quartos maiores, mas aquilo foi apenas um detalhe, o apartamento de Henrique nem sequer foi aberto, ficamos todos juntos no mesmo apartamento e na noite de quinta e madrugada de sexta apenas conversamos e brincamos bastante, mas o Rio cria um clima bastante propicio à sensualidade, nós ficamos todas de shortinhos e provocávamos os meninos, papo vai papo vem a madrugada já estava alta e nós também de frente para o mar olhando as praias maravilhosas do Rio de Janeiro começamos a namorar, beijos, amassos, os três casais ainda meio desconfiados e com certa vergonha de ir mais além na frente dos demais, Henrique e Claudia foram os primeiros a entrarem para um dos quartos e curtirem suas intimidades longe de nós, Fábio e Raquel já não se envergonhavam tanto, alias Fábio era muito safado e me comia com os olhos, certamente já estava planejando uma forma de me traçar, eu e André namorávamos na sacada, ele já chupava meus seios e eu assistia Fábio fazer o mesmo com Raquel, em dado momento fiquei excitadíssima, de onde estávamos Fábio e Raquel não podiam ver o que estávamos fazendo, apenas viam minhas reações e gemidos e sabiam que André estava a chupar minha boceta, mas eu podia vê-los em detalhes, jogados no sofá, Raquel tirou o pinto de Fábio para fora e começou a chupar, fiquei maluca com aquela cena, Fábio tinha uma rola de mais ou menos 22cm era sem dúvida uma senhora pica e Raquel sabia tirar proveito de cada pedacinho, apertei a cabeça de André entre minhas pernas e curti um orgasmo delicioso sendo lambida dentro da boceta e assistindo ao boquete de Raquel, Fábio olhava para mim e piscava, mordia os lábios de tanto tesão, virei-me um pouco de forma a deixar meus peitos à mostra para ele e nos provocávamos um ao outro, André e Raquel nem perceberam, estavam muito ocupados em nos dar prazer, por um instante troquei algumas palavras com André e quando virei para Fábio novamente Raquel estava de quatro no sofá e Fábio pelado penetrando sua namorada por trás, fiquei com a imagem da bunda peluda de Fábio socando a boceta de Raquel, nossa que cena, fiquei com vontade de levar ferro na hora, mas André se levantou e sentou em uma poltrona na sacada e segurando a rola pediu que o chupasse, fiquei de joelhos e chupei meu noivo com sofreguidão, agora ele recebia minha língua e minha boca e assistia a foda de Fábio e Raquel, mas só podia ver as costas e a bunda de Fábio pois Raquel estava perdida no meio daquele homem delicioso, chupei André de forma a deixá-lo maluco, ele perdeu o controle e gozou fartamente em minha boca, se jogou quase desmaiado na poltrona, então me levantei e percebi que estávamos sozinhos na sala, Fábio e Raquel já tinham saído do sofá, ficamos por ali mesmo e fodemos mais uma vez antes de dormir. Na manhã de sexta levantai um pouco tarde e percebi que os rapazes não estavam no hotel, Raquel levantou junto comigo e fomos para o banheiro tomar um banho para relaxar e trocarmos as primeiras impressões da noite anterior, afinal nunca tínhamos transado uma na frente da outra, no caminho vimos Claudia deitada ainda dormindo peladinha, estava desmaiada, certamente havia tomado muita rola, mas não escutamos quase nada lá da sala, ficamos eu e Raquel falando de nossos homens, de nossas fantasias e das performances da noite anterior, Raquel não viu quase nada e eu confessei a ela que vi tudo que eles fizeram, rimos e trocamos intimidades do que gostávamos de fazer e nossos namorados, Claudia entrou no banheiro do jeito que estava pelada e foi para o chuveiro nem sequer se importou de ter gente e quem eram que estavam no banheiro, ela era uma mulher muito bonita e olhou-nos e disse, hoje precisamos mudar as coisas aqui, pois quero poder gemer alto na cama, caímos todas na gargalhada, pois de fato a coisa havia esquentado, mas curtimos tudo calados, na banheira Raquel me tocava com os pés me provocando e eu retribuía as caricias, sempre fomos muito amigas, mas agora dividíamos intimidades, Claudia tomando banho e mexendo aquele corpão de mulher bonita era uma cena muito sensual, ela disse que queria ficar na sala conosco na noite anterior mas Henrique ficou tímido, por isso foram para o quarto, mas que por ela teria ficado, assim combinamos que iríamos seduzir os rapazes e criar uma situação para podermos ficar mais a vontade com todos juntos, aproveitei para perguntar o que elas estavam planejando para a noite de sábado no salão, de pronto e imediato Claudia disse que tinha aceitado o convite por causa do baile, disse que já tinha se informado e nosso camarote era fechado, disse que tinha o sonho de transar em público e que Henrique sabia que teria que fode-la lá no camarote, chegou a me dar um gelo na barriga, certamente aquela viagem seria a suruba que fantasiava a tempos, Raquel olhou para mim e Claudia e perguntou se iríamos ficar apenas com nossos namorados, Claudia disse que não tinha interesse em dar para o salão inteiro, mas que se topássemos dividiria o homem dela na boa conosco, pronto foi o inicio da safadeza, começamos a falar uma do namorado da outra e a planejar como seria a sedução de cada uma, neste momento ouvimos os rapazes chegando, olhamos uma para outra e como num instinto, nuas e molhadas como estávamos fomos saindo uma a uma no corredor que dava acesso à sala, eles ficaram meio estupefatos com a cena, mas uma a uma de suas namoradas, peladas e molhadinhas literalmente fomos caminhando em direção aos nossos homens e não demorou muito para Fábio começar a baixar o shorts e deixar escapar sua rola deliciosa e já ficando em ponto de bala, André e Henrique seguiram os passos e num instante três rolas duras estavam balançando à nossa disposição, Henrique era o mais tímido de todos, beijava Claudia e acariciava seus seios, Fábio já estava a foder a boca de Raquel sem nenhuma vergonha, sentou a namorada no sofá, subiu em cima do assento encostou a cabeça de Raquel no encosto macio e começou a penetrar sua boca devagar, ela engolia a pica de Fábio e acariciava a própria boceta, era muito sexy ver Fábio naquela posição metendo na boquinha de Raquel, logo ele estava fodendo com virilidade a namorada na boca, a rola imensa sumia nos lábio de Raquel que alisava a bunda de Fábio, não me fiz de rogada e pedi para chupar o pau de André que mais uma vez saiu do meio de minha pernas, sentei-me ao lado de Raquel e André imitou o amigo, subiu no assento e veio foder minha boca, Fábio olhava para mim e piscava, e eu nem piscava, não tirava os olhos da vara dele entrando na boca de Raquel, as bolas daquele macho batiam no queixo de minha amiga que engolia tudo com satisfação, André fodeu um pouco minha boca mas logo preferiu foder minha boceta, me levantei e fui para trás do sofá encostei o peito no encosto do sofá de forma que méis seios ficaram balançando no ar em cada estocada que André dava em minha boceta, nesta posição estava a centímetros da rola de Fábio que não saiam de forma nenhuma da boca de Raquel, ele fodia cadenciadamente a namorada na boca, era como se fodesse uma boceta, eu estava maluca assistindo aquele cena, quando olhei para o lado e vi Claudia tomando na boceta na posição de frango assado no chão da sala, a rola de Henrique tinha mais ou menos uns 18cm porém era grossa, ele metia com volúpia e tinha a visão do meio das pernas de Fábio, ele via a vara entrar na boca de Raquel de frente, voltei a olhar a pica de Fabio fodendo os lábios de minha amiga e gozei na vara de meu noivo que me estocava fortemente, no meio do meu orgasmo fiquei maluca, Fábio apertou um de meus seios, Raquel de canto de olho me olhou e piscou, ainda estava gozando gemendo alto e sem nenhum pudor quando vejo a porra escorrer dos lábios de Raquel, Fábio mordendo os lábios estava gozando na boca da namorada, ver aquele homem suado, forte de olhos fechados soltando o leite branquinho era demais, ainda tirou da boca de Raquel e pude ver um jato forte de porra esguichar dentro da boquinha da loirinha, safada, passava os dedos na porra que tinha explodido em seu rosto e lambia os dedos, André me estocava fortemente e gozava dentro de minha boceta ao mesmo tempo que Henrique soltava todo seu peso em cima de Claudia e os dois gozavam aos berros, Raquel deu mais umas lambidas na rola de Fabio e ele caiu de boca na boceta de minha amiga, André foi para o banheiro se lavar e eu fiquei ainda na mesma posição, de bruços no encosto do sofá, vendo a língua de Fábio fazer minha amiga gozar, quando dei por mim estava beijando Raquel na boca, sua língua gelada me deixava com o tesão à flor da pele, Fábio continuava a chupar a boceta dela e acariciar meus seios, enfiei a mão no meio das pernas e comecei a me tocar, acariciando minha boceta, Henrique e Claudia se levantaram e foram para a sacada ficaram se beijando enquanto Raquel anunciava seu orgasmo, Fabio não tirava a mão de meus seios apertando bastante e eu gozei outra vez com meus dedos e os dedos de Fábio em meus seios, Raquel deu um salto e se levantou, convidou todos a tomarem um banho para nos prepararmos para a noite, fomos todos para o banheiro, me juntei a André na banheira de um lado, Fábio e Raquel do outro e assistimos Henrique e Claudia numa foda inesquecível debaixo do chuveiro, era tudo como se não tivesse ninguém olhando, na banheira inicio-se outra sessão de sexo entre os dois casais, gozamos fartamente naquela tarde sem se preocupar um com o outro, dentro do hotel roupa não tinha mais sentido, todos andávamos pelados e provocando um ao outro, mas a suruba completa aconteceria na noite seguinte no salão, na noite de sexta fomos ao desfile das escolas de samba e nos divertimos muito, porém sexo só na manhã de sábado onde outra vez rolou de tudo na sala, no quarto e na banheira, fodemos desavergonhadamente, porem sem troca, mas meus seios já estavam quase fazendo parte das mãos de Fabio

Adicionar comentário

*  confirmacao