Cadastre-se ou faça login!

Menina inocente

Oi, sou a Karol, tenho 25 anos, e hoje acordei lembrando de um fato que aconteceu comigo há algum tempo atrás. Meu pai era colecionador de revistas de sexo. Eu escondida dele, pegava pra ver, ficava molhadinha com aquelas histórias picantes. Muitas delas tinham histórias de mulher com mulher, eu adorava. Pegava uma caneta, e ficava esfregando no meu grelo até gozar. Isso que eu era apenas uma garotinha entrando na adolescência. Meu pai fazia faculdade, minha mãe já não morava conosco, e toda noite vinha uma garota ficar comigo. Ela era nossa vizinha de rua. Numa dessas noites contei pra ela meu segredo (da revistinha) e dei uma de mulher com mulher pra ela ver. Fiquei ali, admirando seu corpo enquanto ela lia. Ela tinha lindos seios, que eu já havia notado em outras ocasiões, redondinho, ela não usava sutiã e às vezes o biquinho ficava duro. Depois que ela terminou de ler, vi que a cara dela era de tesão, e perguntei o que ela achava. Não sei. Ela me respondeu. Ficamos ali, deitadas na minha cama, que era de casal. De repente virei pra ela e pedi: Posso chupar seus peitos? O máximo que ela podia dizer era um não, mas pra minha surpresa, ela deixou. Comecei chupando apenas o biquinho, bem devagar, lambia a pontas dos seus mamilos, e ela não se conteve, deu um gemidinho. Ela estava com os olhos fechados, e mordendo os lábios, aí comecei a chupar de verdade, com força. Peguei com as mãos os peitos dela e apertava e chupava. Que delícia. Eu já estava toda molhadinha, e pedi: Posso mexer na sua boceta? Sem resistência ela deixou, então enfiei minhas mãos no meio das pernas dela, e iniciei uma massagem no seu clitóris, ela se contorcia de tesão. Estava toda molhadinha, e como nas revistas, fui descendo com a cabeça, lambendo seu corpo, e abri seus grandes lábios. Admirando sua xoxota, comecei a chupar seu clitóris. Ela gemia alto, e eu não parava. Tinha um gosto maravilhoso, meio salgadinho. Lambi tudo. Com o dedo médio, fui enfiando devagar no buraquinho dela, ela gritou, e dizia pra mim: Não para, não para. Logo ela começou a gozar, parecia um xixizinho. Voltei e chupei mais um pouquinho os lindos seios dela, ela tremia e estava ofegante. De repende o barulho do carro do meu pai. Ele estava chegando da faculdade, nos arrumamos rapidinho. Ela me fez prometer não falar pra ninguém, e até hoje tinha cumprido minha promessa. Aquela garota era muito boa, nos dias que seguiram fizemos de conta que nada tinha acontecido, e eu comecei a me interessar pelos garotos.

Adicionar comentário

*  confirmacao

Edy em 14/02/2010

Que delicia de conto.

Aposto que alem dos garotos, ja se interessou por homens mais experientes na casa dos trinta.

Caso tenha interesse ou curiosidade, conte comigo, gostosa!!!!!

Bjos.



Edy