Cadastre-se ou faça login!

Minha namorada exibicionista dando dentro do Carro

Tudo começou quando conheci a Kátia, na cidade de Mairiporã , ela trabalhava em uma loja de presentes, e eu sempre ia na locadora ao lado da loja, olhares aqui, olhares ali, começamos a conversar e alguns dias depois a convidei para ir em casa comer uma pizza.
Na mesma noite transamos e ela se liberou rapidamente. Um dia começamos a falar sobre nossas fantasias e ela me contou que gostava de ser vista transando, UMA EXIBICIONISTA!
Então passamos a transar em praças, primeiro em Bragança Paulista, depois comecei a ir pra São Paulo, na Lapa, em uma praça chamada Pôr-do-sol. Nesta praça os casais ficam namorando e vários caras ficam passando entre os carros para observar .
Pedi a ela para colocar um vestido e não usar calcinha nem sutiã. Foi o que ela fez! Chegamos na praça por volta das 22:00 hrs, descemos do carro e ficamos dando uns beijos no mirante. Logo percebi que tinha um careca nos observando, então, discretamente eu levantava seu vestido e deixava que o careca observasse sua bunda, e que bunda! Mas o bobão, ao invés de ficar quietinho, começou a gemer e ofegar, ficamos assustados e voltamos para o carro.
Dentro do carro comecei a beijar seu seios e tirei o pau pra fora, ela começou a chupar e me perguntou se não tinha ninguém vendo, respondi que sim, tinha um cara sobre o muro, numa guarita vendo tudo! E então a putinha se soltou, chupava feito louca e eu me segurando pra não gozar.
Percebi que um taxista, num Ômega, havia estacionado atrás de meu carro e qual não foi minha surpresa quando ele desceu e ficou passando várias vezes por nós.
Quando ele passou pela terceira vez eu coloquei a mão prá fora do carro, fazendo sinal de positivo, então ela parou e ficou nos observando encostado numa árvore! A Kátia ficou excitadíssima, subiu encima de mim e começou a cavalgar, eu levantava seu vestido e permitia que o cara da guarita e o taxista vissem sua bunda deliciosa, abaixei mais o meu vidro e olhei para trás em direção a árvore, onde estava o taxista, ele estava se masturbando,..pedi prá Kátia o chamar e a vadia o fez, com uma das mãos...ele veio até a porta e colocou sua rola, na boca da vadia e ela, chupou, me beijava e chupava aquela pica grande, o taxista tinha um saco enorme e raspado, foi quando quase morri..., ela segurou a benga do cara e me beijou, depois ainda segurando aquela vara, a direcionou pra minha boca e disse: dá um beijinho?, por favor, só um beijinho; e eu, já ia chupar mesmo, mas tava sem graça,...quando ela pediu, pensei, é agora e disse: só um hein? Rapidinho...; e ela concordou! E fiquei ali, comendo uma buceta e dividindo uma chupeta com aquela vadia gostosa, até que gozei...e a puta chupou o taxista até ele gozar, e engoliu tudo. O cara saiu, ela voltou pro banco do passageiro e eu voltei meu encosto na posição normal, liguei o carro e saimos, fomos jantar.

Adicionar comentário

*  confirmacao

Marcos André em 30/12/2009

fantastico, parabens muito bem escrito.